Relatório do evento

II Colóquio de Intercompreensão entre línguas românicas: formação e práticas de inserção

28 a 30 de setembro de 2016. Natal/RN- Brasil

UFRN (Universidade federal do Rio Grande do Norte)

Relatório do evento

Resultados alcançados

O II Colóquio Internacional de Intercompreensão de Línguas Românicas: formação e práticas de inserção que está na continuidade do primeiro realizado em 2013, também em Natal, teve como um dos objetivos fazer um balanço das ações realizadas em prol da intercompreensão entre línguas românicas, principalmente no contexto brasileiro.

Como no primeiro, nosso público alvo foram os professores de educação básica das escolas municipais de Natal. Tivemos como um dos objetivos apresentar, explorar e analisar o potencial da intercompreensão entre línguas românicas - aprendizagem por família de línguas - como meio para a melhoria do ensino de línguas.

O evento foi aberto com a bela apresentação do coral dos servidores, em sua maioria, professores, da Secretaria Municipal de Educação de Natal.

Também na sessão de abertura, o II Colóquio de Intercompreensão deu oportunidade à sessão de solenidade da criação da Rede Latinoamericana, que terá como membro fundador a professora Elena Ceberio ou Paipe, como é mais conhecida no meio dos intercompreendedores.

Assim como o primeiro, o II Colóquio foi realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Natal. O primeiro evento foi realizado no espaço da prefeitura municipal, no CEMURE- Centro Municipal de Referência em Educação enquanto o segundo foi realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN.

O II colóquio foi também oportunidades de grandes encontros entre pessoas que se conheciam há anos apenas por interações virtuais, como também encontro entre pesquisadores e docentes com experiências diferentes de ensino (educação básica, ensino superior); entre especialistas de línguas diferentes e de estruturas de naturezas diversas (oficiais, institucionais, associativas) que deram oportunidades ao surgimento de novos projetos, formações, encontro latino-americano, MOOC etc.

A participação foi efetiva e entusiasta, principalmente durante as oficinas. Como base nos comentários orais e pela análise dos questionários distribuídos durante o evento, podemos afirmar que o II Colóquio foi coroado de êxito, satisfazendo a expectativa dos inscritos e dos organizadores.  

Programação

O programa contemplou as modalidades de intervenção: conferências, mesa-redonda, oficinas, comunicações e fórum de discussão.

As conferências versaram sobre o tema da abordagem plural e lugar da intercompreensão.

As mesas-redondas tiveram como meta levar os participantes a adquirirem um embasamento teórico sobre a intercompreensão de línguas românicas, assim como conhecer os trabalhos que vêm sendo desenvolvidos nas escolas e universidades da Europa e América do Sul. Tivemos a apresentação de duas mesas-redondas:

  • MESA 1 – IC: formação e extensão, que tratou de projetos, pesquisas e ações das universidades em prol da IC .
  • MESA 2 – IC: inserção e expansão, que tratou de ações junto às escolas ou comunidades fora da universidade: projetos, pesquisas e elaboração de material que possam ser utilizados na educação básica (Euromania, InterRom, por exemplo).

Nas oficinas, de dimensão prática, os participantes puderam vivenciar a intercompreensão, a partir de métodos plurilíngues já existentes e de atividades elaboradas pelos ministrantes, assim como tiveram ocasião de elaborar atividades plurilíngues pensando em seu público alvo.  As atividades propostas pretenderam envolver os participantes, na sua grande maioria professores de educação básica de escolas pública, de forma a encorajá-los a aplicar a intercompreensão de línguas românicas em seus contextos profissionais.

Comunicações: Em relação ao primeiro colóquio realizado em 2013, percebemos um grande avanço no que se refere às pesquisas em intercompreensão, no contexto brasileiro.

Apresentamos 3 eixos temáticos, com um total de 13 propostas de comunicação: 12 desenvolvidas em contexto brasileiro e 6 delas no Rio Grande do Norte. As comunicações foram assim distribuídas:

Eixo Temático: Intercompreensão entre Línguas Românicas e Educação Básica

  • A intercompreensão de línguas românicas nas aulas de inglês: uma experiência inovadora nos cursos de Educação de Jovens e Adultos do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (Janaina Michelle França de Oliveira – IFRN)
  • A intercompreensão em línguas românicas nas aulas de espanhol: o que querem e o que podem essas línguas? (María Carolina Lúgaro Izuibejeres - IFRN)
  • A intercompreensão de línguas românicas: uma proposta para a leitura literária plurilíngue no Ensino Fundamental (Carmélia Pereira de Lima – SME/ RN)
  • A intercompreensão de línguas românicas na educação infantil (Mariana de Normando Lira – UFCG / Josilene Pinheiro-Mariz – UFCG)
  • La mediación intercultural en una experiencia de intercambio mediada por tecnología (María Carolina Lúgaro Izuibejeres – IFRN / Beatriz Margarita Luque - Escuela Normal Superior “Dr. Alejandro Carbó”)
  • InterCine : um cenário possível para interculturalidade e aprendizagem multilíngue (Regina Célia da Silva - UNICAMP)

Eixo Temático: Intercompreensão entre Línguas Românicas: Contexto Universitário

Eixo Temático: Intercompreensão entre Línguas Românicas e Políticas linguísticas

  • Enfoque intercomprensivo y preparación para la movilidad académica ( Kátia Bernardon de Oliveira – Universidade de Grenoble / Angela Erazo Munoz - UNILA)
  • Práticas de intercompreensão em contexto acadêmico: a experiência na faculdade de Letras da USP (Lívia Miranda de Paulo - USP)
  • Intercompreensão de línguas românicas: o plurilinguismo no ensino de Línguas com Objetivos Específicos na Universidade Estadual do Piauí (Luíza de Marilac Veras Uchôa - UESPI)
  • Lenguas romances y el inglés como lengua facilitadora: proyecto áulico (María Celeste Fueyo – UPC)
  • La presencia de la lengua y cultura gallega en la península ibérica (Gleba Coelli Luna da Silveira – IFRN)
  • La intercomprensión y los procesos de integración regional lationamericana (Angela Maria Erazo Munoz – UNILA / Carlos Felipe Chávez Solis – INNOVA, Universidade Grenoble)
  • A Intercompreensão como ferramenta para mudanças em sala de aula (Ana Catarina de Melo Silva - UFRN)

Durante o evento os participantes receberam fichas onde poderiam questionar os expositores. As perguntas deveriam ser lidas e discutidas na sessão plenária ou fórum de discussão, ao final do colóquio.

Em todas as modalidades os expositores utilizaram sua língua materna na oralidade, misturaram as línguas de seu conhecimento ou variaram a língua da apresentação. O ppt, por exemplo foram apresentados em francês, espanhol, português ou italiano.

As respostas aos questionários e comentários gerais salientam a coerência geral do colóquio devido à complementariedade das intervenções. Os pontos de vistas estatísticos, sistêmicos e estratégicos encontraram suas coerências nos resultados de pesquisas, assim como nos relatos de experiências de campo.

Publicação resultante do evento

A comissão organizadora estuda a possibilidade de se fazer uma publicação das apresentações realizadas no colóquio.

Participação no evento

Contamos com 93 inscrições, abaixo discriminadas:

PÚBLICO ESPERADOS EFETIVOS
Professores/pesquisadores 20 18
Professores Educação Básica 51 43
Alunos pós-Graduação 03 02
Alunos de Graduação 19 12
  TOTAL 93 75

Quadro1: quantitativo do público

Contamos com a presença de colegas de 7 estados brasileiros, além do Rio Grande do Norte, e de 5 países estrangeiros:

Estados brasileiros

Número de representantes

Paraíba 1

Minas Gerais

3

Rio de Janeiro

1

São Paulo

3

Paraná

3

Piauí

1

Pernambuco

2

Quadro2: Efetivo de estados brasileiros

Os países representados no II Colóquio foram: França, Argentina, Suíça, Itália e Portugal

Fonte financiadora e de apoio recebido

para a realização do II Colóquio de Intercompreensão entre Línguas Românicas

  1. UFRN (Centro de Ciências, Humanas, Letras e Artes-CCHLA e Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras Modernas- DLLEM)
  2. Secretaria Municipal de Educação de Natal- SME
  3. Embaixada da França
UFRN hospedagem e alimentação para 9 convidados
SME coral, pastas, canetas, material de divulgação do evento: banner e cartazes distribuídos em 72 escolas municipais, lanche dos intervalos.
Embaixada da França/ Consulado da França em Recife

Translado para os convidados durante o evento Hotel/ UFRN/Hotel

Quadro 3: identificação das fontes financiadoras e tipo de recurso recebido

Recebemos, também, apoio de colegas e de instituições que nos forneceram brindes sorteados durante o evento:

FONTE

 TIPO DE APOIO

Embaixada da França/ Consulado da França em Recife pen drives
Aliança Francesa de Natal dicionários, material publicitário: folhetos, chaveiros e canecas
Colegas intercompreendedores

 

Livros e folhetos (Euromania, Galapro, Miriadi, DGLFLF etc.)

Colegas da UFRN

 

livros em espanhol, italiano e francês

Quadro 4: identificação das fontes e dos apoios recebidos

Desejamos que, após o colóquio, a parceria UFRN-SME fique ainda mais fortalecida!! Aproveitamos para fazer um agradecimento especial à profa Judineide Domingos Campos de Souza, Secretária Adjunta de Gestão Pedagógica na Secretaria Municipal de Educação, que com seu fiel apoio a nossos projetos, abre caminhos para que a intercompreensão de línguas românicas se instale nas escolas públicas.

Reiteramos nossos agradecimentos a todos os que fizeram o II Colóquio de Intercompreensão. Esperamos que as ações se consolidem e se multipliquem após o encontro IC-Natal 2016 !!!!!

Até breve!! Hasta luego! See you soon!!! Arriverderci !!! A bientôt!!!

Coordenação geral

  • Selma Alas Martins

Comissão organizadora

  • Rudson Gomes de Souza (SME)
  • Heloisa Albuquerque Costa (USP)

Comissão coorganizadora

UFRN: Universidade Federal do Rio Grande do Norte

  • Janaína Michelle França de Oliveira
  • Taíse Rocha
  • Rosilene Perrin
  • Cristiane Campelo
  • Andreia Sales
  • Carmélia Lima
  • Maria Carolina Lúgaro
  • Fanny Souchon (leitora de língua francesa)

SME- Secretaria Municipal de Educação de Natal

  • Josiane Alves Moreira
  • Ana Maria de Medeiros Lucas
  • Ana Zélia Souza
  • Maria do Socorro Oliveira